O Centro Regional de Estudos, Prevenção e Recuperação de Dependentes Químicos (CENPRE) é um Projeto de Extensão do Instituto de Ciências Biológicas da FURG e por se tratar de uma unidade acadêmica, seguirá o calendário universitário da FURG, permanecendo em recesso de 24/12/2018 a 02/01/2019. Nesse período o CENPRE estará fechado e retomará os atendimentos a partir do dia 03/01/2019. Agradecemos a compreensão.

 

COMPONENTES QUÍMICOS

 

O princípio ativo do tabaco é a nicotina e esta, em preparações como o cigarro, contém 9 – 17 mg/unidade; no charuto, 20 – 50 mg/unidade.

O tabaco, quando queimado, fornece número elevado de substâncias gasosas e partículas sólidas (aproximadamente 4.000), das quais 90% são inaladas por meio de sua fumaça.

As substâncias químicas isoladas do fumo e do condensado do cigarro podem ser classificadas em:

  1. Nicotina e derivados;
  2. Monóxido de carbono (CO);
  3. Alcatrão: composto de substâncias irritantes e cancerígenas:

 

Substâncias irritantes: acroleina, formaldeido, cetonas, ácido cianídrico, fenóis, etc.

 

Agentes cancerígenos: benzopireno, formaldeido, níquel, nitrosaminas, acetaldeido e elementos radioativos.

4. Aditivos: nitratos, fertilizantes, inseticidas (DDT), fungicidas, mentol, corantes, etc.

A Nicotina está presente nas folhas de tabaco e é considerada um estimulante, uma vez que excita muitas células cerebrais e excita a atenção. Não chega a ser tão danosa quanto o alcatrão e o monóxido de carbono, mas seu papel é mais traiçoeiro – quando, no esforço para obtê-la, as pessoas acabam inalando monóxido e os sub-produtos do alcatrão. A nicotina provoca contração e acúmulo de gordura (colesterol) nas paredes das artérias, diminuindo a passagem do sangue e, conseqüentemente, predispondo ao derrame cerebral e ao infarto do miocárdio.

O Alcatrão é uma das maiores ameaças à saúde contidas no cigarro, podendo originar vários tipos de câncer. Além disso, suas pequenas partículas destróem os alvéolos, causando sérios problemas respiratórios, como enfisema, por exemplo.

O Monóxido de Carbono (CO) é um gás que passa facilmente dos alvéolos pulmonares para a corrente sangüínea, onde se combina com a hemoglobina (substância do sangue que transporta O2 para os tecidos), forma-se, então, a carboxihemoglobina (COHb), gerando carência de O2 no organismo pela dificuldade da hemoglobina em transportar o oxigênio.