O Centro Regional de Estudos, Prevenção e Recuperação de Dependentes Químicos (CENPRE) é um Projeto de Extensão do Instituto de Ciências Biológicas da FURG e por se tratar de uma unidade acadêmica, seguirá o calendário universitário da FURG, permanecendo em recesso de 24/12/2018 a 02/01/2019. Nesse período o CENPRE estará fechado e retomará os atendimentos a partir do dia 03/01/2019. Agradecemos a compreensão.

 

O QUE SÃO ESTIMULANTES?

 

São substâncias capazes de acelerar o funcionamento do cérebro e com esta hiperexcitabilidade aumentam o estado de alerta, diminuem o sono e o apetite, e aumentam a capacidade física para o trabalho e esportes, apesar de diminuir o desempenho. Os estimulantes mais conhecidos são a cocaína, a anfetamina e derivados anfetamínicos (conhecidos como remédios para emagrecer). As anfetaminas também são conhecidas como bola, boleta, pedra.

 

O QUE SÃO ANFETAMINAS?

 

São produtos sintéticos, obtidos em laboratórios. Existem várias drogas anfetamínicas com efeito estimulante similar. Elas podem ser ingeridas na forma de comprimidos e também ser injetadas. A anfetamina é uma droga ilícita, mas alguns anfetamínicos são disponíveis no mercado para uso médico. Clique aqui para ver fotos.

 

PARA QUE SÃO USADAS?

 

As drogas semelhantes a anfetamina são usadas com propósitos médicos em vários casos:

v    Para facilitar a perda de peso

v    Para controle de doenças comportamentais de crianças (hiperatividade)

v    Para controle de sintomas de narcolepsia (alteração do sono – quando a pessoa dorme em qualquer local e hora do dia).

Muito mais freqüentemente são usadas com fins de abuso.

Só podem ser receitadas por médicos.

 

QUEM UTILIZA?

 

São utilizadas, de forma não médica, à vezes:

v    Por desportistas, para suportar um maior esforço

v    Por estudantes, para manter-se por maior período de tempo acordados

v    Por pessoas que utilizam álcool ou tranquilizantes e desejam obter um efeito contrário aos mesmos.

Estudantes brasileiros, de primeiro e segundo grau, usam ilicitamente substâncias anfetamínicas para ficarem acordados ou diminuir o peso. Em Porto Alegre compões terceira droga mais usada pelos estudantes, principalmente do sexo feminino.

 

POR QUE SÃO USADAS COM FIM DE ABUSO?

 

Nas doses usuais os derivados anfetamínicos aumentam o sentido de alerta e previnem a fadiga (cansaço). Outra razão para o uso abusivo é que elas causam euforia (um tipo de alegria), e aumento dos reflexos, o que dá a impressão para o indivíduo de que ele é mais sociável, mais falante e mais eficiente nas atividades físicas. Além disso, algumas vezes começam a ser usadas para diminuir o apetite e, quando a pessoa deseja parar de usar, não é capaz. Portanto, mantém o uso pela dependência.

 

O QUE FAZEM DE MAL PARA A SAÚDE?

 

O abuso de anfetamínicos pode causar vários tipos de problemas. Muitos problemas relacionam-se com o fato de a pessoa ser incapaz de avaliar sua condição física e psicológica, quando sob ação da droga. Outras complicações são associadas com os efeitos das drogas, tais como:

v    Irritabilidade, tensão ansiedade, tremor fino e perda de peso, com deficiência alimentar

v    Problemas cardíacos, com aumento da pressão arterial e arritmias (coração bate em ritmos alterados)

v    Associadas com a administração da droga, como problemas de infecção no local de injeção ou, até mesmo generalizada (AIDS, hepatite)

v    Condições de emergência, tais como febre e convulsões ou psicose aguda pelo uso de doses muito altas

 

PRODUZEM DEPENDÊNCIA?

 

Sim. Sabe-se que o uso continuado destas drogas ocasiona necessidade de aumentar a dose para produzir efeito igual ao efeito obtido no início do uso (chama-se tolerância). Diversos sinais e sintomas aparecem quando usuários regulares suspendem o uso da droga, o que é indicativo de dependência. A retirada pode ser acompanhada de fadiga e sonolência ou depressão (com alto potencial suicida), já existente ou não. Esquizofrenia prévia pode ser ativada.

 

EXISTE TRATAMENTO PARA O USUÁRIO DE ANFETAMINAS?

 

A retirada é o primeiro passo a ser tomado, porém a mesma deve ser realizada em um centro especializado, ou mesmo na própria residência, desde que existam cuidados médicos, pela síndrome da abstinência. A suspensão da droga compreende o início de tratamento que também precisa contar com a participação de psicoterapia, reuniões de grupos e ajuda de familiares.