O Centro Regional de Estudos, Prevenção e Recuperação de Dependentes Químicos (CENPRE) é um Projeto de Extensão do Instituto de Ciências Biológicas da FURG e por se tratar de uma unidade acadêmica, seguirá o calendário universitário da FURG, permanecendo em recesso de 24/12/2018 a 02/01/2019. Nesse período o CENPRE estará fechado e retomará os atendimentos a partir do dia 03/01/2019. Agradecemos a compreensão.

 

A equipe da Enfermagem da Pró-Reitoria de Gestão e Desenvolvimento de Pessoas/Diretoria de Atenção à Saúde (PROGEP/DAS), juntamente com a equipe do CENPRE, realizou ação alusiva ao Dia Nacional de Combate ao Fumo, distribuindo folhetos informativos e orientações no Campus Carreiros, Campus Saúde e Hospital Universitário. Em Rio Grande, a população pode procurar os seguintes serviços de atendimento:

  1. Centro Regional de Estudos, Pesquisa e Recuperação de Dependentes Químicos (CENPRE), localizado no Térreo do prédio anexo ao HU, telefone (53) 3233-0202
  2. Programa de Ajuda ao Fumante, na Ala Verde no Hospital Universitário (HU/FURG), telefone (53) 3233-8868

 

29 de agosto é o Dia Nacional de Combate ao Fumo e tem como objetivo reforçar as ações nacionais de sensibilização e mobilização da população para os danos pessoais, sociais, políticos, econômicos e ambientais causados pelo tabaco.

Segundo a Organização Mundial de Saúde o tabagismo é a principal causa de morte evitável em todo o mundo, sendo responsável por 63% dos óbitos relacionados às doenças crônicas não transmissíveis. Dessas, o tabagismo é responsável por 85% das mortes por doença pulmonar crônica (bronquite e enfisema), 30% por diversos tipos de câncer (pulmão, boca, laringe, faringe, esôfago, pâncreas, rim, bexiga, colo de útero, estômago e fígado), 25% por doença coronariana (angina e infarto) e 25% por doenças cerebrovasculares (acidente vascular cerebral).

Além de estar associado às doenças crônicas não transmissíveis, o tabagismo também é um fator importante de risco para o desenvolvimento de outras doenças, tais como - tuberculose, infecções respiratórias, úlcera gastrintestinal, impotência sexual, infertilidade em mulheres e homens, osteoporose, catarata, entre outras doenças. O consumo de tabaco e seus derivados mata milhões de indivíduos a cada ano. Se a tendência atual continuar, em 2030 o tabaco matará cerca de 8 milhões por ano sendo que 80% dessas mortes ocorrerão nos países da baixa e média renda.

No Brasil, como resultado das importantes ações de controle do tabaco desenvolvidas, a prevalência de tabagismo vem diminuindo ao longo dos anos.

Referências

Instituto Nacional do Câncer - INCA. Disponível em www.inca.gov.br

Organização Mundial de Saúde - OMS. Disponível em http://www.who.int/tobacco/global_report/2011/exec_summary/en/